Capitais do Conhecimento®

Na sociedade atual, além dos fatores tradicionais de produção - terra, capital e trabalho - encontramos outro que tem sido o diferenciador - o conhecimento - que tem agregado mais valor as organizações. Este fator considerado intangível, tem seu conceito aprimorado desde a década de 80, quando Sveiby classificou os ativos intangíveis em três categorias: capital do consumidor, capital estrutural e capital humano ou intelectual. Acreditamos que hoje, o modelo que melhor representa os capitais do conhecimento seja o dos quatro capitais: o ambiental , o estrutural, o intelectual e o de relacionamento.

O capital ambiental pode ser definido pelos vários aspectos e características que são identificados na região onde a organização se encontra. Todos os valores, aspectos legais e governamentais, clima, geografia, e outros, devem ser considerados. Por esta definição é possível compreender, como algumas empresas possuem desenvolvimento maior que outras, quando se encontram em um ambiente mais propício ao seu tipo de negócio.

O capital estrutural se resume na estrutura necessária para as empresas funcionarem e a ela pertencem. São os sistemas administrativos, os softwares, as marcas ,as patentes, os prédios. De todos esses fatores, a forma de atuação da estrutura organizacional é que tem influenciado com mais impacto, os resultados desejados.

O capital intelectual trata do conhecimento das pessoas que se encontram em uma organização. Diferente do capital estrutural , ele pertence ao indivíduo, mas a utilização eficaz deste potencial , tem o poder de gerar valor para as empresas e para as pessoas. A dificuldade das organizações é conseguir transformar o conhecimento tácito (aquele referente à experiência individual das pessoas) em explícito (que se pode encontrar em livros e palestras ), de modo a agregar valor aos produtos ou serviços prestados.

O capital de relacionamento pode ser entendido como o facilitador para os outros capitais, uma vez que trata dos relacionamentos-chave para os negócios da empresa, podendo ser individuais ou institucionais. Incentivando os relacionamentos e as alianças estratégicas as empresas passam a ganhar mais.

A interação entre os capitais e o reconhecimento da importância dos mesmos, devem levar em conta em determinada ocasiões a existência de uma relevância maior de um capital em detrimento de outro. Desta forma, o tratamento dado a cada um destes capitais precisa ser adequado as suas características específicas.

Capitais do Conhecimento é marca registrada pelo CRIE- Centro de Referência em Inteligência Empresarial da COPPE/UFRJ.